17 de Abril de 2014
Utilize as teclas de atalho Alt+2 para navegar para a área de pesquisa do sítio web.
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.

Áreas de Intervenção

Intervenção na área do PapelAo Departamento de Conservação e Restauro (DCR) compete efectuar trabalhos de conservação e restauro de bens culturais móveis de interesse nacional e de interesse público ou, a título excepcional, de bens não classificados, mas de reconhecido valor histórico, artístico, técnico ou científico que possam constituir-se como referência da actividade de salvaguarda e conservação do património cultural móvel.

Integram este Departamento profissionais – Conservadores-restauradores, técnicos de conservação e restauro e artífices – com vasta experiência nas diversas áreas de especialização. Para além da especificidade de cada área de intervenção, é objectivo comum a defesa e preservação dos bens culturais, baseada em princípios éticos internacionalmente aceites.

O conhecimento e interpretação dos materiais constituintes das obras de arte, das técnicas de produção e do estado de conservação, são fundamentais para a compreensão da história material dos objectos.

As intervenções são complementadas com o recurso a métodos científicos de exame e análise que permitem identificar e caracterizar os materiais constitutivos da obra. Estes dados, fornecidos por uma equipa multidisciplinar – físicos, químicos biólogos e técnicos de fotografia e radiografia –, contribuem para o diagnóstico, definição e realização do tratamento de conservação-restauro.

Todo este processo é documentado de forma sistemática em diferentes suportes, dando corpo ao Arquivo Técnico de Conservação e Restauro – repositório fundamental para a compreensão e estudo das obras intervencionadas.

Ao DCR compete, igualmente, assegurar a formação de jovens Conservadores-restauradores, através da orientação de estágios curriculares e profissionais.

Lista de Conteúdos

  • Escultura policromadaA área de Escultura trata essencialmente obras tridimensionais, policromadas ou não, de diferentes tipologias em madeira, terracota, marfim, pedra e outros materiais.

    O tratamento de uma peça escultórica é o momento privilegiado para o seu estudo mais aprofundado nos domínios técnico, científico e histórico, e, simultaneamente, uma oportunidade para reunir documentação gráfica, fotográfica e radiográfica de todo o processo de intervenção.

    As metodologias de intervenção, segundo conceitos éticos e deontológicos internacionalmente aceites, norteiam em cada momento as formas de actuação dos profissionais de conservação e restauro.

    Os relatórios finais com os resultados dos estudos, da intervenção e da documentação produzida constituem uma fonte de informação para futuras intervenções e pesquisas.
  • Túmulo do Infante D. Afonso de Portugal, pormenorÀ área do Metal compete a conservação e restauro de peças de ourivesaria civil e religiosa, entre as um número considerável de alfaias litúrgicas e outras obras de reconhecido valor histórico e artístico da arte portuguesa e estrangeira.

    Tendo como objectivo principal a preservação da integridade e a conservação destas obras, todas elas são objecto de estudo técnico, baseado em exames e análises que fundamentam o diagnóstico e intervenções subsequentes. Toda a documentação produzida constitui fonte de informação fundamental relativamente à investigação tipológica e tecnológica.
  • Escudo, friso de volutasA Conservação e o Restauro de Mobiliário têm particulares especificidades decorrentes da grande variedade de técnicas de construção, em conjugação com um grande número de materiais, para além da madeira: couro, metal, madrepérola, marfim, papel, tecido, tartaruga, laca, entre outros.

    Os exames laboratoriais são fundamentais para a identificação de materiais e técnicas de construção, permitindo balizar as peças no tempo, identificar a sua origem, detectar outras intervenções ou mesmo demonstrar a sua autenticidade. Contribuem igualmente para a definição das metodologias de conservação e restauro mais adequadas.
  • Foral de Alfândega da FéNa área de conservação de Obras de Arte sobre Papel são conservadas peças de tipologias muito diversas, nomeadamente gravuras, desenhos (a lápis, carvão, pastel, tinta), aguarelas, manuscritos, estojos, leques, papeis de parede, mapas, cartazes, pergaminhos (documentos manuscritos, cartografia) e livros.

    Nas intervenções de conservação e restauro desenvolvidas nesta área estão subjacentes estudos específicos, actualizações e aperfeiçoamento de novas técnicas e produtos com orientações inovadoras no âmbito do manuseamento, acondicionamento e transporte de bens com este suporte.
  • Assunção de Nossa SenhoraO sector de Pintura desenvolve a conservação e restauro de obras de arte de diferentes épocas, escolas e técnicas, em suportes tão diversos como a madeira, a tela, e o metal.

    O tratamento de conservação rege-se, em regra, pelos princípios de “intervenção mínima” e envolve a conservação do suporte e da camada pictórica.

    Cada intervenção implica uma abordagem interdisciplinar que permite conhecer e caracterizar a realidade intrínseca de cada pintura e, a partir desse momento, determinar a metodologia de intervenção mais adequada. O estudo dos materiais e os dados obtidos a partir de exames e análises laboratoriais viabilizam a definição de critérios mais adequados de intervenção.
  • Mural de Almada Negreiros. PormenorNa área de conservação e restauro de Pintura Mural seguem-se os princípios preconizados pelo Instituto Central de Restauro de Roma.

    A pintura mural, como património integrado de monumentos, igrejas, ermidas e outros imóveis, exige que os trabalhos de conservação e restauro se efectuem in situ, tendo sempre em atenção as especificidades de cada técnica.

    Os trabalhos realizados pelos conservadores restauradores incluem, para além do levantamento do estado de conservação, o registo das condições ambientais e a cobertura fotográfica. As metodologias de intervenção são determinadas pela técnica de produção artística e causas de degradação existentes.

    Nos últimos anos, esta área, assumiu maioritariamente funções de estudo das técnicas, levantamento de estados de conservação, documentação, aconselhamento, formação e divulgação.

     

  • Tratamento de suporteNesta Oficina realizam-se trabalhos de apoio às diversas Áreas do Departamento de Conservação e Restauro, nomeadamente:

        • Tratamento dos suportes de madeira das pinturas;
        • Tratamento de grades de madeira;
        • Montagem e desmontagem de peças de bens culturais móveis ou integrados;
        • Embalagem de obras de arte.
  • Tapeçaria Os DescobrimentosA área de Têxteis é responsável pela conservação e restauro de tapeçarias, tapetes, tecidos, bordados e rendas do património nacional.

    Esta actividade tem sido desenvolvida em três vertentes: 

        • Estudo técnico e decorativo;
        • Conservação preventiva e curativa;
        • Acondicionamento para transporte e exposição.

    Os relatórios dos trabalhos incluem informação detalhada, essencialmente sobre tecnologia têxtil e metodologias de intervenção. A documentação gráfica e fotográfica constitui um valioso complemento para a investigação do património têxtil nacional.
  • Talha. PormenorA Talha, sendo uma das expressões mais particulares da Arquitectura, indissociável em inúmeros aspectos da Escultura, adquiriu gradualmente o merecido reconhecimento no panorama das Artes.

    Através da tipologia de diferentes objectos, de carácter religioso ou cultural, que vão desde altares a inúmeras alfaias litúrgicas, mobiliário, molduras ou outros, cujo suporte comum é a matéria lenhosa, a talha é, sem dúvida, uma das mais singulares “expressões artísticas Portuguesas”.

    Esta área de trabalho é responsável pelo estudo, tratamento e recuperação de peças dos acervos do Estado e de particulares.
  • Recomende este sítio web

Serviços do Site

Rodapé