Os trabalhos de conservação e restauro da estrutura do retábulo-mor da Sé do Funchal tiveram o seu inicio a 4 de Abril de 2013 com a reunião da equipe técnica no Funchal. Esta equipa tem a seguinte constituição:

Tratamento de conservação e restauro da talha dourada:
Elsa Murta (LJF/coordenação),
Tiago Dias (FCT/LJF),
Henrique Silva,
Carolina Ferreira e Paulo Olim (WMF).

Tratamento de conservação e restauro da pintura:
Mercês Lorena (LJF/coordenação),
Carolina Ferreira, Gloria Nascimento, Joana Júlio (WMF) e Sofia Gomes (FCT/LJF)


O trabalho foi iniciado pela higienização da estrutura no tardoz do retábulo, com aspiração cuidada de poeiras e detritos com revisão e reforço de ligações dos elementos em talha aplicada, com parafusos em aço inox.
O sacrário e decoração circundante a escultura de Nª Sª da Assunção e as esculturas de pequeno vulto, devidamente assinalados os seus locais de exposição, foram removidos dos seus locais e encontram-se no espaço de reserva no recinto da Sé, para melhor se efectivar os tratamentos de conservação e restauro.
No final de Maio deu-se por concluído o tratamento do elemento superior do retábulo identificado como baldaquino.

FOTOS 1 e 2 - Tratamento de conservação e restauro da talha dourada


 


A intervenção de conservação e restauro das pinturas teve início no dia 30 de Abril com a distribuição de trabalho pela equipe de trabalho e os primeiros testes de limpeza da camada cromática em quatro pinturas intervencionadas nos anos 40 do séc. XX.
A primeira fase do trabalho (a decorrer durante cerca de 2 meses) irá concentrar-se na limpeza de um conjunto de pinturas, incluindo identificação da extensão de antigas intervenções, faltas e gastos de camada cromática e identificação de repintes descobertos por baixo de grande quantidade de sujidade.

FOTOS 3, 4 e 5 - Tratamento de conservação e restauro da pintura: