O trabalho do referido artista apresenta basicamente duas fases fundamentais:
- O período de 1944 a 1955, anos convulsivos e que se afirmam com a descoberta inicial do neorrealismo.
- O período bem mais longo, de 1958 a 1992, que se carateriza por uma busca de síntese, onde se situam a figura e a não figura, o caos e a forma, através de uma pesquisa formal e imaginária que também passou pela realização de filmes experimentais, nos anos 70, muito análogos à pintura final de Oliveira.