Este apoio surge na sequência do trabalho feito no Museu Nacional do Azulejo, com o projecto-piloto "Tesouros do MNAz ao alcance de todos", cuja apresentação pública teve lugar no passado dia 3 de Dezembro, Dia Europeu das Pessoas com Deficiência.

O projecto "Tesouros do MNAz ao alcance de todos" consistiu na intervenção da colecção permanente do Museu, de maneira a tornar acessíveis as peças mais relevantes da colecção bem como dos espaços mais interessantes do edifício. Foi desenvolvido em parceria com a ACAPO (Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal), a FPAS (Federação Portuguesa das Associações de Surdos) e contou com o acompanhamento de Grupos Consultivos de que fazem parte pessoas cegas e surdas. Para identificar e ultrapassar os obstáculos arquitectónicos, o projecto contou com financiamento da AS (Associação Salvador). O mecenato da Fundação Millennium bcp revelou-se muito importante ao nível da informação, pois tornou possível a implementação de guias multimédia - audioguias em Português e em Inglês, que incluem audiodescrição para pessoas com cegueira ou baixa visão e videoguias em Língua Gestual Portuguesa e Sistema de Signos Internacional para pessoas com Surdez.

Ao viabilizar este Doutoramento, o Millennium bcp torna possível uma investigação a nível académico sobre estes assuntos, nomeadamente sobre o impacto que a visita a museus pode ter em pessoas cegas e surdas. O estudo conduzirá a uma pesquisa alargada para encontrar boas práticas no mesmo sentido, a um debate construtivo com outros profissionais sobre problemas semelhantes e soluções encontradas, a uma reflexão crítica das opções seguidas no projecto do MNAz, que será o caso de estudo.

O Millennium bcp torna assim possível o desenvolvimento de uma área que começa a dar os primeiros passos em Portugal e que pretende assegurar a todos o acesso ao património - um direito constitucional e condição fundamental para o exercício pleno da cidadania.

Logo Millennim BCP