19 de Abril de 2014
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.
  • Rede Portuguesa de Museus
  • Museus RPM
  • Açores

Açores

Lista de Conteúdos

  • Edifício do Museu Carlos Machado Edifício do Museu Carlos Machado

    As colecções do Museu Carlos Machado repartem-se por três áreas principais: História Natural, Arte e Etnografia Regional.
    As colecções de História Natural reportam-se à fundação do museu, no final do séc. XIX, e reflectem o espírito científico dessa época. Incluem exemplares de diferentes partes do globo, muito embora as espécies açorianas tenham maior relevância. Este espólio é constituído pelas seguintes colecções: peixes; crustáceos; aves; mamíferos; moluscos; insectos; aracnídeos; répteis; flora; geologia e mineralogia.
    A colecção de Arte está organizada, principalmente, em núcleos de Pintura, Escultura e Arte Sacra. Dentro da Pintura, salientam-se as telas do Morgado de Setúbal, dos finais do século XVIII, oferecidas a este museu pela Condessa de Cuba, bem como as obras oitocentistas, do micaelense Marciano Henriques da Silva, pintor régio de D. Luís. Já do século XX, para além dos artistas açorianos, destacam-se alguns exemplares de pintura contemporânea portuguesa, que permitem marcar a evolução das mentalidades e alargar a vocação deste museu. Na Escultura sobressai a obra de Ernesto Canto da Maya, artista micaelense, que estudou em Paris, onde ganhou o "Grand Prix de Sculpture", em 1937.
  • Fachada do Museu da Graciosa

    O acervo do Museu da Graciosa é vasto e diversificado, incidindo na sua maioria sobre objectos ligados à etnografia local. Além desta, o destaque vai para colecções de moedas, conchas, fotografias antigas e recentes, jornais e documentos vários.
  • Museu da Horta (interior) Museu da Horta (interior)

    O acervo do Museu da Horta é formado por um conjunto heterogéneo de coleções, abrangendo um vasto campo disciplinar, que na sua globalidade diz respeito ao percurso histórico da ilha do Faial. Resultante de doações e de aquisições feitas ao longo dos anos, a sua diversidade proporciona um encontro com peças de grande valor e de rara qualidade, a par de outras que testemunham vivências pretéritas e que merecem permanecer na memória colectiva de todos. Assim, é possível ver artefactos de cariz etnográfico ligados às tecnologias tradicionais agrícolas, do linho e da lã, objetos tecnológicos relativos ao Porto da Horta, como das estações cabo-telegráficas do séc. XIX à primeira metade do séc. XX que operaram neste centro nevrálgico de comunicações no Atlântico Norte.
    Ainda, entre o seu acervo contam-se peças de pintura e escultura dos séculos XVI a XX, e em especial, por ser única no mundo, a coleção de miolo de figueira da autoria do faialense Euclides Silveira da Rosa, que fez doação a este museu – exposição permanente.
  • Edifício do Museu das Flores Edifício do Museu das Flores

    As colecções são essencialmente etnográficas e abrangem os séculos XVIII-XX. Significativa é a colecção de scrimshaw. Possui gravuras e objectos em osso e dente de cachalote, feitos pelos baleeiros nas barcas americanas e por artesãos açorianos e outros que nesta região exerceram a sua arte.
    Possui toda a gama de alfaias agrícolas relacionadas com o amanho da terra e tratamento das produções (pastel, cereais, leguminosas, tubérculos e linho são as predominantes).
    Significativa também é a colecção de utensílios de fiação e tecelagem de linho e lã.
    Tem uma colecção de têxteis produzidos localmente, em linho e lã , embora utilizando , em alguns casos, algodão vindo dos Estados Unidos da América, para a urdidura do tecido, que é composta por colchas, cobertores, toalhas e vestuário.
  • Edifício do Museu de Angra do Heroísmo Edifício do Museu de Angra do Heroísmo

    O Museu de Angra do Heroísmo é um museu de síntese, onde se procura refletir, ao mesmo tempo, uma história com os seus fatos e movimentos político-económicos marcados pelo domínio do Atlântico e uma cultura nas suas múltiplas formas e significados gerados e moldados por uma existência insular.
    Apresenta três exposições de caráter permanente, a mais significativa das quais, Do Mar e da Terra: uma história no Atlântico, ocupa todo o piso superior do edifício, a par de uma reserva de transportes de tração animal dos séculos XVIII e XIX e de três outros espaços expositivos consagrados a exposições temporárias.
  • Edifício do Museu de Santa Maria Edifício do Museu de Santa Maria

    A principal colecção do Museu de Santa Maria é constituída por peças de etnografia, com especial enfoque nas peças de cerâmica, produzidas localmente e na ilha de S. Miguel. Da exposição permanente do Museu, fazem parte também pequenos núcleos relacionados com a agricultura, os têxteis e a vida quotidiana. O espólio do museu é maioritariamente constituído por peças do século XIX / XX.
  • Edifício do Museu do Pico Edifício do Museu do Pico

    O Museu dos Baleeiros nas Lajes do Pico, o único em Portugal especializado na baleação artesanal, estacional e costeira, e o mais visitado dos Açores, em complementaridade com o Museu da Indústria Baleeira assume-se como a única estrutura museológica da Região com potencial para se tornar um espaço privilegiado de explicação global da baleação açoriana.
    O edifício do museu, cuja área coberta ronda os 1350m2, é constituído por: um conjunto de três Casas de Botes Baleeiros do séc. XIX, complementado por uma tenda de ferreiro, anexa, integrada num novo corpo edificado – fortemente marcado por uma arquitectura de inspiração baleeira norte-americana – que alberga um arquivo e uma biblioteca especializada na temática baleeira; uma nova área, recentemente ampliada, destinada à recepção e loja de vendas, à Galeria de Exposições Temporárias, aos Serviços Educativos, à Direcção e aos Serviços Técnicos e Administrativos.

     

     

     

    .
  • Prato decorativo do Museu Francisco de Lacerda Prato decorativo do Museu Francisco de Lacerda

    As colecções que integram o acervo do Museu de São Jorge são sobretudo de carácter etnográfico e datam dos séculos XIX e XX, abrangendo as seguintes temáticas: cerâmica, têxteis/tecelagem, agricultura, pecuária e mobiliário. É de assinalar ainda uma importante colecção relativa ao Maestro Francisco de Lacerda, natural da Ilha de São Jorge.
  • Fachada Museu Municipal da Ribeira Grande Fachada Museu Municipal da Ribeira Grande

    O Museu Municipal é um típico espaço de recolha e promoção de objectos etnográficos do concelho da Ribeira Grande, onde a barbearia, lagar, tipografia, latoeiro, cerâmica, carpintaria, produção têxtil têm lugares de destaque. No Núcleo da Emigração Açoriana, podemos visualizar objectos, cartas, documentação, fotografias e vídeos que explanam sobre a história e cultura da emigração açoriana. No Núcleo de Arte Sacra, a Casa do Arcano, está exposto o Tesouro Regional, o Arcano, uma obra única e da autoria de Madre Margarida do Apocalipse que produziu um conjunto de quadros alegóricos ao Novo e Velho Testamento contendo centenas de figuras alusivas às principais personagens bíblicas.