21 de Abril de 2014
Utilize as teclas de atalho Alt+2 para navegar para a área de pesquisa do sítio web.
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.

Alentejo

Lista de Conteúdos

  • Edifício do Paço Ducal de Vila Viçosa Edifício do Paço Ducal de Vila Viçosa

    PAÇO DUCAL: A construção do palácio iniciou-se em 1501 incorporando obras dos séculos subsequentes até 1910. As obras de fundo terminam com D. Maria I, no final do séc. XVIII. Posteriormente só há adaptações pontuais que não mexem na estrutura do edifício. O espaço a visitar abarca o Andar Nobre, incluindo o acervo obras de Artes Decorativas, Pintura, Escultura, Têxteis. No piso térreo, estão instalados a Armaria e o Tesouro e, em dependências anexas, a Colecção de Carruagens.
  • Museu da Luz Museu da Luz

    O Museu da Luz afirma-se como singular espaço de cultura, arte e identidade. De interpretação e de criação, partindo da transfiguração do lugar e da paisagem, dos valores patrimoniais – materiais e imateriais - e da experiência social de mudança decorrente do projeto da barragem de Alqueva, em particular na aldeia da Luz – que foi reconcebida em novo lugar.
    Instalado junto à água, este bloco de xisto que se levanta do chão é lugar de encontro de vivências e de experiências do presente com o passado, no sítio emblemático da nova aldeia da Luz.
  • O espólio do Museu de Évora resulta em grande parte da antiga colecção arqueológica, artística e de curiosidades naturais do Arcebispo Frei Manuel do Cenáculo, um dos maiores coleccionadores portugueses do século XVIII. Este fundo reflecte as temáticas artísticas próprias do coleccionismo antigo: o retrato, a paisagem e as naturezas mortas, onde se destaca um bom conjunto da retratística da época da restauração e um núcleo de naturezas-mortas de Baltazar Gomes Figueira e Josefa de Óbidos. Na colecção arqueológica, merecem referência a lapidária e estatuária romana provenientes de todo o Alentejo. O Museu reúne ainda algum espólio dos extintos conventos eborenses e da Catedral de Évora, formando o núcleo de artes decorativas - com peças de mobiliário, paramentaria e ourivesaria -, e também um importante grupo de escultura tumular medieval e renascentista. A importância e o carácter retrospectivo da colecção de pintura de Frei Manuel do Cenáculo foi acentuado por esta via, com a inclusão das treze tábuas do magnífico retábulo flamengo da Sé de Évora e com a aquisição recente de uma obra de Álvaro Pires de Évora.

    Como chegar...
  • Núcleo de Arte Islâmica (interior) Núcleo de Arte Islâmica (interior)

    O Museu de Mértola tem como âmbito geográfico Mértola e o Concelho sendo a sua disciplina principal a arqueologia. Alguns dos seus núcleos foram implantados em sítios arqueológicos representativos de diversos períodos da História, como é o caso da Casa Romana, da Basílica Paleocristã ou da Ermida e Necrópole de S. Sebastião ou, reúnem importantes conjuntos de materiais arqueológicos com o é o caso do núcleo de Arte Islâmica ou do núcleo da Torre de Menagem do Castelo. Reúne também uma importante colecção de arte sacra dos séculos XV a XVIII e materiais etnográficos representativos de artes tradicionais como é o caso da Forja do Ferreiro e da Oficina de Tecelagem onde três tecedeiras se encarregam de manter viva esta tradição.
  • Museu Municipal de Aljustrel (entrada principal) Museu Municipal de Aljustrel (entrada principal)

    O Museu Municipal de Aljustrel possui duas colecções principais. Uma de Etnografia, ligada ao mundo rural, com alfaias agrícolas para trabalho da terra, de apicultura, de moagem, de armazenagem e tratamento de cereais e ainda de materiais ligados à produção de vinho e azeite. Dentro desta temática possui ainda diversos objectos do quotidiano que permitiram a reconstituição de um quarto e cozinha de uma casa rural.
    A segunda grande colecção do Museu é de Arqueologia. São materiais que foram recolhidos no concelho em intervenções arqueológicas e de achados fortuitos. Através do estabelecimento de um protocolo com a empresa mineira Pirites Alentejanas, SA, o museu ficou com o depósito de todos os materiais que faziam parte do antigo Museu da Mina. Estes materiais abarcam um período cronológico que vai desde a Pré-história até à Idade Média, com especial ênfase no período romano.
    O Museu possui ainda uma colecção de metrologia, proveniente do antigo Gabinete do Aferidor da Câmara Municipal de Aljustrel que servirá para a criação de um futuro Núcleo de Metrologia.
  • Museu Municipal de Estremoz Museu Municipal de Estremoz

    Colecção de forte componente etnográfica, com especial enfoque nos Bonecos e Olaria de Estremoz. Patente ao público está também a reconstituição de uma Casa típica Alentejana e uma colecção de arqueologia composta por Estelas funerárias medievais e peças que vão do calcolítico à romanização.
  • Museu Municipal de Ferreira do Alentejo Museu Municipal de Ferreira do Alentejo

    O acervo do Museu Municipal de Ferreira integra o espólio arqueológico proveniente das estações Calcolíticas do Porto Torrão, das estações Romanas do Outeiro da Mina, do Monte da Chaminé e Monte da Zambujeira, da Tholos de Odivelas escavadas inicialmente entre as décadas de 70 e 80, bem como o espólio Sacro (têxteis, ourivesaria, manuscritos do séc. XVI-XVII-XVIII) da Igreja da Misericórdia de Ferreira, pintura séc. XX, bens etnográficos doados por vários particulares do Concelho; vestuário de finais do séc. XIX, bens culturais pertencentes a antigas profissões (carpinteiro, serralheiro, albardeiro, tipógrafo).
  • Edifício do Museu Municipal de Santiago do Cacém Edifício do Museu Municipal de Santiago do Cacém

    O Museu apresenta um espólio arqueológico com peças representativas do paleolítico ao período medieval. A coleção de numismática apresenta um percurso de cunhagem de moeda balizado entre o século III a.C. e o advento da República, ilustrando e documentando a história local e nacional, existindo ainda um conjunto de cédulas e notas.
    Do espólio do museu faz parte ainda uma vasta mostra etnográfica que tem sido enriquecida através de ofertas dos habitantes da região. Possui peças ligadas às artes decorativas, pintura, mobiliário, cerâmica, escultura, têxteis, documentação e fotografia.
  • Museu Regional de Beja

    O Museu Regional de Beja possui um vasto acervo patrimonial nomeadamente as colecções de Pintura, Arqueologia, Azulejaria, Escultura, Ourivesaria, Cerâmica Utilitária, Numismática Metrologia e Ferragens. O Núcleo de pintura reúne um importante conjunto de obras produzidas em Portugal Espanha e Holanda, entre os séculos XV e XVIII, dos primitivos portugueses destacamos o Ecce Homo, S. Vicente (atribuido ao Mestre Vicente Gil, da Escola de Coimbra), A Virgem da Rosa, e quatro trabalhos do pintor português António Nogueira, a saber A Visitação de Santa Isabel, A Descida da Cruz, A Ressurreição e a Ascensão. Da Colecção de Arqueologia destacamos o importante núcleo romano, e o conjunto de capitéis clássicos, de grandes dimensões do Fórum da Antiga Pax Julia (a Beja romana). Na Colecção de Azulejaria salientamos a azulejaria hispano-árabe dos séculos XV e XVI.
    Os andores em prata dedicados a S. João Evangelista e S. João Baptista são as duas importantes obras de referência da Colecção de Ourivesaria do Museu Regional.
  • Recomende este sítio web

Serviços do Site

Rodapé