20 de Abril de 2014
Utilize as teclas de atalho Alt+2 para navegar para a área de pesquisa do sítio web.
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.

Centro

Lista de Conteúdos

  • Museu Convento dos Lóios Museu Convento dos Lóios

    Dois períodos de incorporação:
    • 1938/1943 Criação da Biblioteca-Museu de Vila da Feira
    • A partir de 1992 - Reorganização do Museu Municipal com a divulgação de actividades de carácter cultural no sentido de envolver a comunidade.
    Coleções de Arqueologia, História local e Etnografia representativas da ocupação do território, da construção da sua história, das artes, dos ofícios, das tradições e costumes, civis e religiosos, que marcaram a identidade e cultura desta região que, na fundação da nacionalidade portuguesa, se designava por Terra de Santa Maria e que, no séc. XV, se transformou em condado da Feira.
  • Edifício do Museu da Guarda

    O acervo do Museu, é constituído por colecções de arqueologia, numismática, escultura sacra dos séculos XIII a XVIII, pintura sacra dos séculos XVI a XVIII e armaria dos séculos XVII a XX. Encontramos ainda cerâmica, fotografia, etnografia regional, pintura e desenho de finais do século XIX e 1ª metade do século XX.
    Merecem particular destaque: duas espadas da idade do Bronze, uma fíbula anular hispânica do séculos V/VI a. C., a colecção de numismática romana e um torso Imperial Romano do século II; na escultura, um granito policromado do século XIII, representando N.ª Sr.ª da Consolação, o Altar da Anunciação século XVI e os espaldares de cadeiral dos séculos XVI e XVIII; a colecção de armas inclui peças do século XVII ao XX, que documentam a evolução da armaria; na pintura encontramos desenhos de Carlos Reis, António Carneiro, óleos de Columbano, Eduarda Lapa, Almeida e Silva e João Vaz, entre outros; as colecções etnográficas permitem uma leitura das principais actividades económicas da região.

    Como chegar...
  • Edifício do Museu da Imagem em Movimento Edifício do Museu da Imagem em Movimento

    A colecção do m|i|mo encontra-se dividida em três áreas: pré-cinema, fotografia e cinema.
    Na área do pré-cinema o m|i|mo tem á disposição do público, teatros de sombras, iconografia diversa, máquinas e brinquedos ópticos, lanternas mágicas e uma colecção significativa de vidros para lanterna mágica.
    A colecção de fotografia é constituída por máquinas fotográficas, visores e imagens fotográficas com especial incidência na fotografia estereoscópica.
    A área do cinema dedica-se essencialmente aos diversos tipos de projectores de filmes, câmaras de filmar entre outros.
  • Edifício do Museu da Pedra Edifício do Museu da Pedra

    O museu possui as seguintes colecções: Arqueologia – artefactos arqueológicos e sílex, datados do Paleolítico Médio, recolhidos em diversas estações arqueológicas do concelho; colecção de paleontologia constituída por inúmeros fósseis em calcário de Ançã; Geologia – composta por uma grande parte de litologias que afloram na região de Cantanhede; Ferramentas Tradicionais – Ferramentas usadas na execução de trabalhos em pedra; Peças Artísticas – Colecção muito diversificada, que atesta a vasta utilização da Pedra de Ançã ao longo dos séculos.
  • Museu da Villa Romana do Rabaçal- Palácio Romano

    A Villa romana do Rabaçal é um museu polinucleado, distribuído por três pólos principais: 1 – Espaço-museu / núcleo-sede, dotado de recepção, sala de leitura, estudo e documentação, sala de reserva e tratamento de materiais, sala de exposição dos achados, bem como de um espaço polivalente, servindo de auditório e sala de exposições temporárias, situado na Rua da Igreja, no Rabaçal, sede de freguesia do mesmo nome, do concelho de Penela; 2 – Estação arqueológica da Villa tardo-romana (dotada de edifício de apoio com recepção, salas de apoio à visita e aos trabalhos arqueológicos, reserva e sanitários), junto à aldeia da Ordem, datada do século IV d.C., local de origem e de compreensão de todos os achados, onde foram identificados a pars urbana, residência senhorial ou palácio romano, o balneário, a pars rustica ou casa da lavoura (dotada de pátio agrícola, alpendres, eira, oficinas e habitação dos servos), as nascentes e os sistemas elevatórios de água; 3 – Vista panorâmica de Chanca, cujo Miradouro foi construído em 2002, sendo dotado de espaço de descanso e painel explicativo de vários pontos de interesse na Paisagem.

  • Edíficio do Museu de Aveiro

    O Museu de Aveiro, museu de História e Arte, instituído no antigo Convento de Jesus, da Ordem Dominicana feminina, em Aveiro, é formado pela área monumental e pela exposição permanente.
    A área monumental evidencia o traçado conventual que remonta ao séc. XV, designadamente da Igreja de Jesus e do claustro, concluídos no séc. XVI, o estilo Barroco do coro baixo, com o túmulo da Princesa Santa Joana (1693-1711), do coro alto e de diversas capelas devocionais, dos sécs. XVII e XVIII, e a fachada “apalaçada”, fisionomia do museu, do séc. XVIII.
    A exposição permanente apresenta obras de Pintura, Escultura, Talha, Azulejo, Ourivesaria e Têxteis, dos sécs. XIV-XV ao séc. XIX, provenientes de conventos extintos de Aveiro e de outras regiões do país. Da colecção do Livro Antigo e dos Manuscritos, documentos da fundação do convento e da vida da Princesa Santa Joana (m. 1490), filha de D. Afonso V, figura incontornável na história do Convento.
    Do acervo do Museu constam ainda as colecções de Cerâmica, Vidros, Metais e a Arqueologia.

    Como chegar...
  • Núcleo das Tinturarias da Real Fábrica de Panos Núcleo das Tinturarias da Real Fábrica de Panos

    O património dos Núcleos da Real Fábrica Veiga/Centro de Interpretação dos Lanifícios e da Real Fábrica de Panos inserem-se no âmbito das disciplinas de:
    • História - Pré e proto industrialização dos lanifícios, séculos XVII-XVIII, e industrialização dos lanifícios, séculos XIX e XX, a partir da caracterização económica, social, técnica e cultural da Covilhã e da região da Serra da Estrela que deve o seu desenvolvimento à mono-industrialização dos lanifícios;
    • Ciência e Técnica – Através dos equipamentos, objectos e ilustrações patentes nas áreas expositivas pretende-se demonstrar processos científicos e técnicos aplicados no âmbito do subsector de actividade têxtil/lanifícios;
    • Arqueologia – Na Real Fábrica de Panos conservam-se as estruturas arquitectónicas e arqueológicas postas a descoberto na área das tinturarias oitocentistas, bem como os achados recuperados durante as intervenções arqueológicas realizadas (1986-1992) e integrados na exposição permanente e em reserva. Idêntica situação se verifica no âmbito da intervenção em curso no Núcleo da Real Fábrica Veiga, que permitiu a conservação das estruturas de assentamento das caldeiras de vapor e a sua integração no projecto museológico.
  • Museu do Caramulo Museu do Caramulo

    A colecção de Arte mostra pintura portuguesa (Grão Vasco, Sousa Cardoso, Vieira da Silva) e estrangeira (Quentin Metsys, Jordaens, Picasso), as quatro tapeçarias Tournai do século XVI, para além dos núcleos de arqueologia, escultura, cerâmica e mobiliário.
    A colecção de automóveis antigos inclui um Peugeot de 1899, uma Bugatti 35-B, de 1930, Rolls-Royce Phantom III (o “carro dos Papas”), Ferrari F-195 Inter e o Mercedes blindado que esteve ao serviço de Salazar. Em perfeito estado de circulação, esta colecção documenta bem o primeiro século de vida do Automóvel em Portugal.
  • Caixa Métrica Museu Escolar de Marrazes

    O Museu Escolar possui uma colecção do início do século XIX, relativa aos grandes pedagogos e que culmina na década de 70 do século XX. Compreende mobiliário, equipamento e utensílios escolares e pedagógicos, iconografia, brinquedos, equipamentos, documentos e vasto espólio bibliográfico e documental.
  • Entrada do Museu Francisco Tavares Proença Júnior Entrada do Museu Francisco Tavares Proença Júnior

    O núcleo original do Museu tem por base a colecção arqueológica de Francisco Tavares Proença Júnior, posteriormente enriquecido com peças de arte antiga provenientes do recheio do Paço Episcopal e com incorporações sucessivas de espólios arqueológicos, paramentaria e colchas bordadas, estas últimas provenientes da colecção Ernesto de Vilhena. Durante os anos oitenta do século XX, incorporou diversas obras de arte contemporânea.

    Como chegar...
  • Recomende este sítio web

Serviços do Site

Rodapé